O uso da arte para a integração entre deficientes físicos

A instrutora de artes, Vera Teresinha Saffier Silva, 65, trabalha com as duas turmas do PIC (Programa integral de capacitação), com oficinas onde eles aprendem a fazer arte com coisas baratas e de fácil acesso. As aulas são um momento de distração para a turma, onde eles podem se divertir e conversar com os colegas e principalmente desenvolver suas habilidades, descobrindo talentos que muitos nem sabiam que tinham.  O principal foco é a realização da arte manual com objetos reciclados e o papel reciclado tem sido, como explica Vera, o carro chefe do projeto. As turmas do PIC voltam a se reunir terça-feira, 5 de março, e com data ainda a definir, logo será feita a mostra com os artesanatos feitos durante a oficina.

Saffier conta que as aulas são muito prazerosas. Ela conta que procura deixar o ambiente agradável para os alunos, coloca música, brincam entre eles, mas na hora de colocar a mão na massa, eles se esforçam também. A turma é muito unida, aqueles que tem mais dificuldades, sempre recebem ajuda dos colegas, e a própria instrutora adapta as aulas para eles. Segundo a instrutora, é possível ver nos olhos de cada um deles a alegria em estar com o grupo, “pra muitos a ACADEF é o lazer deles, então tu tem que entender esse lado, sabe?”, ressalta.

A instrutora sempre lembra os alunos de que tudo o que feito nas oficinas, eles podem fazer por conta própria em casa e talvez até conseguir uma renda extra com isso. A maioria dos artesanatos são feitos com produtos de baixo custo, ou até mesmo matérias que eles têm em casa e vão para o lixo. Mesmo assim, segundo vera muitos não têm condições de comprar os materiais e as aulas servem apenas como um momento de integração. Mas para aqueles que buscam vender suas artes, ela incentiva que busquem fazer o melhor para que as pessoas comprem o produto por ele ser bonito e não por que a pessoa que está vendendo tem alguma deficiência, “Se comprar por pena, vai comprar só uma vez e não vai comprar mais”, afirma Saffier.

Artesanato com produtos reciclados

Vera busca sempre ensiná-los sobre a importância da reciclagem, mostrando a eles que tudo pode virar arte, até o lixo. “Tu conscientizar o teu aluno que ele tem que cuidar, é um comecinho? É pequeno? É! Mas já é um começo”, lembra a instrutora. Um dos artesanatos que a turma do PIC mais gostou de fazer foram as garrafas de vidro coladas com pedaços de revistas. Ela mostrou o passo a passo e é muito fácil, acompanhe.

Você vai precisar de:

– Uma garrafa vazia de vidro, pode ser qualquer modelo.

– Cola plástica

– Tíner

Passo a passo:

1 –  Comece limpando bem a garrafa com álcool.

2 – Logo passe cola em um pedaço da garrafa e vai colando os pedaços de revistas picados.

3 – Quando a garrafa estiver toda coberta, basta passar o tíner com um paninho velho. Por isso é importante cuidar para pegar alguma folha de revista onde tenha uma cor predominante, porque é dessa cor que a garrafa vai ficar.

Depois é só deixar secar e usar a criatividade para enfeitar com outras coisas como cordinhas, miçangas ou massinha de biscuit. Caso queira colocar uma imagem, é preciso colar na garrafa antes de começar a colocar os pedaços de revista. Vera ainda lembra que é importante rasgar a folha para que dê um charme diferenciado na garrafa. De acordo com a instrutora, pode ser cobrado de R$ 10 a R$15 por cada garrafa que depois podem ser usadas como objetos de decoração.

Compartilhe em suas redes sociais