O Superman da ACADEF

Muito simpático e comunicativo, o pequeno Vinicius Warttmann Morais, de apenas três anos e dez meses, espalha carisma por onde passa. Ele teve a parte motora e intestinal comprometidas por causa de uma malformação congênita chamada mielomeningocele, uma alteração das camadas da medula espinhal e que fez com que ele desenvolvesse hidrocefalia, outra condição que afeta o acúmulo de líquidos no cérebro. O pequeno já é paciente na ACADEF há cerca de dois anos. A fisioterapeuta que tem acompanhado o tratamento do menino, Danielle Rodrigues Grings, conta que ele teve um ótimo desenvolvimento. Além da fisioterapia, o menino foi assistido no suporte do Serviço Social e da Fonoaudiologia também, na Acadef.

A fisioterapeuta lembra que o menino chegou e não conseguia caminhar, por isso trabalha muito com ele o treino de marcha e equilíbrio. Segundo ‘a tia Dani’, ele prefere se locomover engatinhando, por ser mais fácil, mas para que ele tenha uma melhor vida em sociedade, ela faz muitos exercícios para que o Vini tenha força suficiente para ficar em pé, e com muito treino, ele já consegue caminhar com o auxílio do andador. Rodrigues diz que ele tinha muito medo das quedas, o que tem melhorado bastante, e conta também que a grande evolução dele é consequência do apoio da mãe que está sempre presente e não deixa com que ele abandone o andador fora da ACADEF.

A mãe, Lídia Warttmann Baptista, 32, conta que foi na ecografia morfológica onde foi descoberto que ele teria alguma deficiência. Lembra dos dias terríveis que passou chorando durante a gestação, com a incerteza do que aconteceria com o bebê. Sem apoio da família, Lídia teve de enfrenta tudo sozinha, “Eu fui lá no fundo do poço e sai, sozinha, mas consegui sair”, salienta, ela não teve tempo para depressão, e diz que precisou esquecer de si, pois seu foco agora era o Vinicius. Lídia ainda relata que como Vinicius é cadeirante, diariamente sofre com as dificuldades de locomoção.

Além do Vinicius, a Lídia tem outro filho, o Gustavo Warttmann, de 8 anos. A mãe salienta que apesar da deficiência do pequeno, não existe diferença entre eles, e são educados da mesma maneira. Claro que o Vini tem suas limitações, o que exige mais atenção, mas… “o que pode, pode”.

Vinicius ainda não vai na escolinha, mas já tem contato com outras crianças. Segundo a mãe quando ele vai brincar com os priminhos, eles se igualam a ele, sentando-se, pois conhecem a deficiência do primo que não consegue levantar e correr como eles.

Quando o Vini é questionado sobre quem é seu melhor amigo, timidamente aponta para o irmão, “o Gu”. Ele gosta muito de super-heróis, e conta que tem um skate onde estão Hulk, Homem de Ferro, Capitão América e O Arqueiro, e ele afirma defender o mundo do mal junto com eles, “eu sou o Superman”. O mini Superman da ACADEF diz gostar muito de vir na instituição brincar com a tia Dani, e o que mais gosta de brincar com ela é de massinha.

Compartilhe em suas redes sociais