O cuidado além da reabilitação

De segunda a sexta, a equipe de voluntários do Projeto Cuidar sai com a Kombi da ACADEF para a realização de visitas domiciliares. O time é composto por Patrícia Bittencourt, assistente social e gestora, os voluntários, Antonio Marcos Rubim, Valoir Oliveira Mendes, Dirceu Souza Malaquias e estagiária de Serviço Social, Gabriela Martins Barreto. Juntos, com o Serviço Social da ACADEF, eles têm o objetivo de levar informação e orientar aqueles que precisam.

Eles realizam visitas domiciliares a usuários de cadeira de rodas. As visitas não servem apenas para informar, mas também é um jeito de trocar experiências, já que os próprios voluntários também são cadeirantes, e assim se forma um elo entre a ACADEF e comunidade PCD de Canoas.  Antonio explica que a intenção disto é que a pessoa, mesmo com suas limitações, consiga ser protagonista de sua própria história e não viva em uma redoma. Buscando sempre ajudar o próximo com tudo aquilo que pode, eles vão pelas ruas, “a gente não tem muito o que oferecer, mas as pessoas não podem sair sem nada”, ressalta Rubim.

Luiz Claudio Silva Machado, 57, é uma dessas pessoas que conheceu a ACADEF pelas visitas do Cuidar. Ele sofre de diabetes e em função da doença precisou amputar os dedos e fez uma raspagem na sola do pé, desde então ele é cadeirante. O projeto Cuidar chegou até ele por uma indicação da Secretaria de Saúde. Assim Luiz Claudio conheceu os serviços prestados pela ACADEF e começou seu tratamento na entidade, passando pela fisioterapia, enfermagem e nutrição.

A mãe de Luiz, Sherlei Dutra, 72, é quem cuida dele e conta que antes de chegarem na ACADEF passaram por vários lugares e nunca viam resultados. Quando o paciente começou a se tratar na Associação, em três meses já começaram a aparecer as melhoras. Sherlei comenta que a equipe de enfermagem ensinou ela a fazer os curativos do Luiz, para que pudesse fazê-lo em casa. Os dois demonstram muita gratidão a instituição.

Outra beneficiária que chegou até a ACADEF graças ao Cuidar, foi a Roberta Nascimento de Souza, 24. Roberta sofreu um acidente de moto há três anos que afetou todo o lado esquerdo de seu corpo, causando uma paralisia. Outras consequências foram suas lágrimas que secaram, além de depender de uma sonda e não conseguir falar.

Depois da visita da equipe do Cuidar, Roberta começou o seu tratamento na ACADEF. Antes de chegar aqui, a moça fez por um ano de fisioterapia sempre sentindo muitas dores, e na instituição descobriram uma fratura em sua perna, “e graças a Deus na ACADEF, graças a Deus o médico viu que tava quebrada”, relembra Roberta. Por causa da perna aqui ela fez fisioterapia apenas no braço, passou também pela fonoaudióloga. Em tudo teve bons resultados. Hoje ela consegue caminhar com ajuda, mas tem fé de que vai voltar a andar sozinha, e pode falar e comer, tudo sem o uso da sonda. O avô, José Manoel Nascimento, 68, e a tia Priscila Pemz Nascimento, contam que as visitas domiciliares realizadas pelo Projeto Cuidar dão um ânimo e que eles só têm a agradecer a toda a equipe da ACADEF.

Compartilhe em suas redes sociais